terça-feira, 7 de outubro de 2008

(Título arrogante para um poema surreal)

Ouço uma folha
-que caiu da árvore-
ser levada pelo vento.
Deixe-me ser uma folha?
Deixe-me ser uma viciada?

Mas eu só quero ficar dentro de uma caixa.
Ser amada dentro de uma caixa.
Transportada dentro de uma caixa.

Minhas mãos pensam ser as suas.
Abraço meu ursinho que pensa ser teu corpo.

Os móveis não ficam no lugar.
As palavras dançam!
Dê-me mais um comprimido desses...

Minha cabeça vai explodir!

Fiz café, meu amor!
Agora eu posso dormir em sua cama?

Estou sendo carregada,
Não me solte!
As baratas de gravata,
As baratas de sapatos altos,
Elas querem me comer! Elas vão me beijar...
Não solte minha mão.

Vamos voar?

(bianca azenha.)...

2 comentários:

Abraão Vitoriano de Sousa disse...

impressionante!!!!! você é demais...

Bianca disse...

que isso! puts, obrigada!