quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Qualquer tema

Desarrumo minha cama,
Organizo meus papéis amassados.
Vejo outra esquina apagada de uma cidade qualquer.
Uma reta está torta...

A noite assassina outra mulher pueril.
Procure-me junto a mim!
Devo estar dentro de algum livro,
Ou alguma garrafa de café jogada pela casa.

Perdi o controle da TV.
Sua boca está muda.
Os lábios ressecados.
As escadas cercadas... a luz da sala queimou.

Devo estar dentro de alguma letra...

Uma canção sentimental,
O calor de um corpo.
Bocas mudas.
E deixas em cima da mesa cigarros e paixões.
O beijo.
O livro.
A memória...

Guimbas espalhadas pela casa,
Quartos calam-se...

Embriaguez.

(Bianca Azenha)

Um comentário:

Abraão Vitoriano de Sousa disse...

aiiiiiii é aqui que me encontro... glórias e glórias!